“Escolhida” por Moro, cidade do Paraná vira laboratório anticrime

Após ser escolhida pelo ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro para um programa de enfrentamento da violência, São José dos Pinhais vem se firmando como uma espécie de laboratório para ações na área de segurança pública no Paraná. Nesta semana, a cidade da região metropolitana deu mais um passo em busca de se tornar referência na área: assinou um termo de cooperação técnica com o governo do estado para troca de informações sobre ocorrências.

O principal ganho para o município é ter acesso ao banco de dados do estado. Com o termo de cooperação, os guardas municipais de São José (e a secretaria de segurança municipal) conseguirão consultar antecedentes criminais, mandados de prisão em aberto e notificações de veículos roubados no Paraná – informações que antes eram de domínio apenas das polícias civil e militar, ambas ligadas à secretaria de segurança do estado, diz o MSN.

“Vamos a um exemplo: numa abordagem de rotina de um suspeito, se o agente não tiver acesso ao banco de dados em questão e se o abordado não estiver numa situação de flagrante, ele será liberado. Mesmo que seja uma pessoa de alta periculosidade, com ordem de prisão, ou que se trate de um foragido da Justiça”, explica Fabiano da Rosa, secretário de Segurança do município.

Além disso, os guardas municipais são joseenses serão os primeiros a poderem registrar o Boletim de Ocorrência Unificado – antes de 2005, somente a Polícia Civil registrava BOs no Paraná; naquele ano, o governo permitiu à Polícia Militar lavrar o documento, que iria para uma base de dados compartilhada entre as duas polícias. “Aqui em São José, o número e atendimentos da Guarda Municipal é bastante expressivo. O trabalho na rua e encaminhamento às delegacias quase se equipara com o da PM”, destaca o secretário.

“Na prática, o primeiro item (acesso ao banco de dados) eleva o nível de trabalho dos guardas. Permite que ele se proteja e proteja melhor o cidadão. O segundo (registro de BO), dá uma base mais realista ao banco de dados, que hoje é separado. O estado tem o banco dele, que é da polícia civil e PM, e as guardas têm outro. Eles hoje não se comunicam”, destaca.

Por sua vez, o estado sustenta que o compartilhamento de dados ajuda o Paraná no planejamento e integração dos diversos sistemas de segurança, facilitando ações policiais. De acordo com a administração, a unificação será estendida a outros municípios. A Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciário do Paraná não respondeu por que optou por São José para iniciar o programa.

Programa federal mostra resultados em São José dos Pinhais

O município vizinho a Curitiba celebra também resultados parciais de um programa federal. Selecionada por Moro, ministro da Justiça e da Segurança Pública, como uma das cinco cidades-laboratório do Em Frente Brasil, São José dos Pinhais viu cair o número de homicídios dolosos (de 5 para 3) e de roubos (de 209 para 158) na comparação de setembro de 2019 com setembro de 2018.

Pelo programa, a cidade paranaense recebe efetivo da Força Nacional – polícia pertencente à União – e R$ 4 milhões para serem aplicados em ações que impactem na diminuição da criminalidade. O objetivo, diz o governo federal, é reduzir os homicídios. Em São José dos Pinhais, estes crimes são relacionados principalmente ao tráfico de drogas. A violência resultante de assaltos, porém, também preocupa os habitantes do município.

13/10/2019

(Visited 2 times, 1 visits today)